sábado, abril 26, 2014

A BUSCA (ou: Psyche na Casa Um)





A mim própria me estou buscando
No caminho que faço
Serve pouco o embaraço
De não saber quem sou
No entretanto
Se a mim me busco
É porque devo
Sou eu que levo
A alma pela mão
O espírito recusa desistir de mim
Enquanto eu não me encontrar
Por isso ando por aí
Pelos caminhos
Perdida no rumo certo
A buscar-me
A buscar-me até me alcançar
Meio dormindo, meio silente
Meio acordada, meio sem nada
Mas com tudo o que eu já tenho,
No aconchego do peito,
Magicamente aninhado na palma da mão

24 de Abril 2014

1 comentário:

Fabricio SN disse...

Uma artística maneira de expressar subjetividade!

Merchan pessoal: http://mentesbr.blogspot.com.br/2014/03/texto-tedio-natural.html